A Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (CODECON) vistoriou diversos estabelecimentos para realizar a pesquisa de preço dos produtos mais procurados neste período

Neste ano, a Black Friday será realizada no próximo dia 26 de novembro, e segundo a pesquisa da Conversion, baseada nas entrevistas feitas com 400 consumidores, 76,50% compraram durante a Black Friday de 2020. Em 2021, a expectativa é que essa porcentagem suba para 87,75%, tanto para produtos vendidos no e-commerce, quanto nas lojas físicas. Para proteger os consumidores das falsas promoções, entre outras práticas abusivas, a CODECON realizou a primeira etapa da Operação Black Friday com a pesquisa de preço de alguns dos produtos mais procurados, como: fogão, televisão, smartphones, máquina de lavar, refrigerador e micro-ondas. Na sexta-feira (26), durante a segunda fase da operação, os fiscais estarão nas ruas para fazer a comparação de preço.
Humberto Viana, diretor-geral da CODECON, alerta para os riscos de golpe: “O consumidor precisa estar atento para não cair em falsas promoções neste período. Além de fazer pesquisas de preço para comprar pessoalmente ou on-line, é necessário se certificar, no caso do e-commerce, que o site é seguro antes de efetuar o pagamento, conferindo o endereço eletrônico, ícone de cadeado e se possui SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente)”, alertou Viana.
Nos últimos anos, cerca de 150 estabelecimentos escolhidos por amostragem foram visitados para pesquisa de preço da Operação Black Friday. No total, 22% foram notificados e autuados por propaganda enganosa, ausência de preço e de informação. Após observar as ações de fiscalização e educação em 2021, a chefe do setor de fiscalização da CODECON, Rose Estrela, espera ter uma taxa menor de infrações neste ano: “A busca pelas capacitações da CODECON cresceu no último ano, o que significa que temos muitos lojistas e consumidores que estão por dentro das normas do Código de Defesa do Consumidor (CDC). É importante frisar que nós fiscalizamos, mas também educamos”, reforçou Estrela.
Em caso de irregularidades e possíveis abusividades, o consumidor pode acionar a CODECON em tempo real através do aplicativo CODECON Mobile ou registrar a denúncia por meio do Aplicativo Fala Salvador, site (www.codecon.salvador.ba.gov.br), portal do Fala Salvador (falasalvador.ba.gov.br) ou através da Central de Atendimento Disque Salvador - 156.